DEPRESSÃO

0

A depressão ou transtorno de humor depressivo é um transtorno psicoquímico caracterizado para diminuição na produção de hormônios de prazer e bem-estar como endorfina, dopamina, serotonina e ocitocina. A diminuição desses hormônios no organismo leva aos sintomas clássicos da depressão como:humor persistentemente rebaixado, apresentando-se como tristeza, angústia ou sensação de vazio e redução na capacidade de sentir satisfação ou vivenciar prazer.

O estado depressivo pode ser similar à tristeza, mas se diferenciam quanto à durabilidade e à conjuntura. A tristeza é um sentimento normal que tem uma causa específica e tempo de duração definida, já a depressão é uma patologia que podedurar meses e até anos e não precisa estar relacionada a causas específicas.

A depressão é uma doença muito séria e precisa de tratamento.Muitos a indicam como a doença com maior taxa de mortalidade. A probabilidade de um depressivo tirar a própria vida é 30 vezes maior do que qualquer outra pessoa. Pesquisas recentes mostram que entre 15% e 20% das pessoas já sofreram de depressão em algum momento da vida, isso é equivalente a 1,5 bilhões de pessoas ao redor do mundo e os números vem crescendo a cada ano. A depressão é mais comum em mulheres (quase o dobro do que em homens) entre 24 e 45 anos, mas tem crescido bastante em homens adolescentes e idosos em geral.

A depressão na infância é menos freqüente, mesmo assim afeta crianças que passam por situações difíceis em casa e principalmente aquelas que sofrem bullying ou algum tipo de rejeição.

É difícil determinar uma causa para depressão, pois por ser uma patologia que pode ser gatilhada por inúmeros motivos, inclusive traumas e memórias reprimidas na infância, mas alguns fatores são recorrentes e podem agravar a depressão:

  • Fatores genéticos;
  • Alimentação;
  • Estresse;
  • Ansiedade;
  • Eventos traumáticos;
  • Estilo de vida;
  • Separação;
  • Rejeição;
  • Drogas;
  • Baixa autoestima;
  • Luto;
  • Fatores sociais.
  • Sintomas

A depressão pode ter vários sintomas pouco intensos, alguns em intensidade alta ou até vários em intensidade baixa, moderada e alta, por isso é difícil identificar depressão observando apenas poucos sintomas, é importante que a combinação sintomática leve ao diagnóstico de transtorno de humor depressivo. Porém, dois sintomas são essenciais:

  • Desânimo;
  • Tristeza persistente;
  • Angústia ou sensação de vazio;
  • Perda ou diminuição de interesse por coisas que antes eram prazerosas;
  • Além desses sintomas,outros também podem aparecer, como:
  • Ansiedade;
  • Isolamento;
  • Cansaço ou falta de energia;
  • Procrastinação;
  • Crises de choro e vergonha de chorar da frente de outros;
  • Perda de produtividade que pode gerar queda de rendimento no trabalho ou na escola;
  • Sensibilidade ao som e à luz;
  • Baixa autoestima;
  • Dificuldade de concentração;
  • Baixo poder de decisão;
  • Sentimento de culpa ou inutilidade,
  • Sensação de solidão, incompreensão, abandono;
  • Alteração no sono e excesso de pesadelos;
  • Medos;
  • Alteração alimentar;
  • Pensamento suicida, fantasiar a própria morte;
  • Irritabilidade;
  • Inquietação;
  • Letargia;
  • Auto agressão;
  • Mudança na percepção de tempo;
  • Desatenção com a higiene;
  • Falta de vaidade.

Tipos de depressão

Existem vários tipos de depressão clínica que podem ser identificadas de acordo com os sintomas, desde que esses não sejam causados sobre a influência de drogas (lícitas e ilícitas) nem transtornos psiquiátricos.

Depressão maior

Essa depressão tem duração de mais de duas semanas e tem como principais característcas o desâmino, dificuldade de concentração e falta de motivação e de prazer nas atividadedes diárias. Crianças e adolescentes apresentam muita irritabilidade e podem se tornar bastante agressivos. Os sentimentos de culpa, medo e solidão são frequentes. A depressão maior tem grande possibilidade de suicídio.

Depressão crônica (distimia)

É considerada uma depressão leve, mas persistente, que dura mais de dois anos. Os sintomas são amenos, e a pessoa consegue fazer as atividades diárias, embora não encontre muita alegria em nada. Por serem leves, muitas vezes os sintomas não são percebidos, mas a taxa de suícido é a mesma da depressão maior. É comum que durante o período de distimia a pessoa tenha acesso de depressão maior, nesse caso é chamado de depressão dupla.

Depressão atípica

Na depressão atípica a pessoa tente a dormir muito, comer demais e se sentir fortemente rejeitada. A baixa-estima e baixa-autoconfiança são muito comuns nesse tipo de depressão. Pessoas com depressão atípica podem perder completamente a vaidade, inclusive abrir mão da higiene pessoal.

Depressão pós-parto

A depressão pós-parto surge em decorrência da mudança hormonal ocorrida no período pós-gestação. Essa depressão precisa ser tratada junto ao endocriniologista e entre os sintomas está desconforto físico, vontade de se isolar e rejeição pelo recém-nascido.

Depressão sazonal ou DAS (distúrbioafetivo sazonal)

Esse distúrbio se caracteriza por aparecer em épocas no ano específicas, normalmente no inverno e está diretamente relacionada à diminuição da incidência solar, portanto é mais comum em países frios e mais afastados da Linha do Equador, onde há pouquíssimas horas de sol no inverno. Os sintomas do DAS incluem: fadiga, alteração na fome e no sono. A maior parte ingere muito açúcar e dorme demais, mas a alteração pode ser contrária: insônia e falta de apetite.

Tensão pré-menstrual (TPM)

O período que antecede a menstruação gera uma série de mudanças hormonais no corpo da mulher. Dependendo das mudanças, elas podem gerar um tipo de depressão específica que afeta entre 3% e 8% das mulheres. A principal catacterística são irritabilidade, sono e mudanças repentinas de humor. O tratamento para essa depressão é hormonal e os sintomas passam com a chegada de menstruação.

Luto

O luto é um sentimento normal ao se perder alguém que ama, mas se os sintomas do luto não diminuírem com o tempo, podem gerar depressão. Os sintomas são os mesmos do luto comum, mas tem duração muito maior do que a do luto saudável, podendo levar anos. Os sintomas são: negação, solidão, desespero, aflição, medo da morte e alterações emocionais. Se o luto for intenso por mais de 6 meses já pode ser considerado depressão.

 34,713 total views,  2 views today

(Visitado17 vezes, 1 visitas hoje)

The following two tabs change content below.
LuisaBaroni

LuisaBaroni

Psicanalista, mestre em filosofia social e política, hipnoterapeuta, psicopegadoga e neuropsicopedagoga Atende no Baroni Desenvolver
23-03-2021 |

Deixe uma resposta

Todos os direitos reservados Utilità, Mantido por RT Soluções.
Pular para a barra de ferramentas