APNEIA DO SONO E COVID19

0
De acordo com a  Organização Mundial da Saúde (OMS), 45% da população mundial sofre com distúrbios do sono. O mais comum é a apneia obstrutiva do sono. Não se trata de um simples ronco, o barulho é acompanhado por engasgos e a entrada do ar pela respiração é prejudicada e acaba comprometendo a concentração de oxigênio no sangue. Muitas pessoas que possuem o problema estão preocupadas se serão mais vulneráveis ou não para o desenvolvimento de um quadro mais grave do covid 19.

Não há até o momento nenhuma evidência científica relacionando a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), por si só, a um maior risco de contrair Covid-19 ou evoluir para casos graves da doença, porém sabe-se que grande parte dos portadores de SAOS possui obesidade e muitos outros também são hipertensos, e essas doenças são sim consideradas fatores de risco para desenvolver formas graves do coronavírus.  O paciente que tem apneia não deve abandonar de maneira nenhuma o tratamento usual,  já que o paciente com SAOS possui uma redução de saturação arterial de oxigênio durante o sono, que é uma das principais complicações da Covid-19. O tratamento regular que o paciente segue em casa deve ser mantido. Normalmente inclui uso de aparelhos intraorais ortodônticos nos casos leves, e nos casos moderados a graves o tratamento consiste no uso de um aparelho respiratório (CPAP) durante o sono para evitar que o paciente tenha apneia.

No caso do CPAP, deve-se ter cuidado com a utilização neste momento já que o uso do aparelho com máscara e fluxo de ar sob pressão, aumenta a disseminação de gotículas com partículas. Se for utilizado em um paciente que pode estar infectado, poderá contaminar outras pessoas com facilidade. Por isso, é recomendado que esse paciente durma em um quarto isolado de outros familiares e faça uma total higienização do aparelho e seus componentes principalmente se tem suspeita de contaminação. Só voltar a dormir em um quarto com outro familiar, caso tenha certeza da não infecção ou pronta recuperação.

Apesar da maior disseminação de partículas virais com o uso de CPAP, não há até o momento nenhuma contra-indicação ao uso do aparelho em pacientes que contraíram Covid-19. Um paciente com SAOS e Covid-19 pode ter uma redução ainda maior dessa SaO2 durante o sono, caso não esteja usando o CPAP. A apneia do sono é comum em pessoas obesas. Quando maior o IMC (índice de massa corporal), maior pode ser a gravidade da SAOS. A ingestão de bebida alcoólica antes de dormir ou uma maior exaustão ao adormecer, também podem agravar o quadro. Porém há outros fatores de risco relacionados à anatomia da via aérea superior do paciente (basicamente nariz e garganta), como desvio de septo nasal, pólipos nasais, hipertrofia de adenóide, hipertrofia de amígdalas, entre outros. Para identificar se você possui algum desses fatores de risco, consulte um otorrinolaringologista.

 28,514 total views,  2 views today

(Visitado41 vezes, 1 visitas hoje)

The following two tabs change content below.

Raquel Vasconcelos

Otorrinolaringologista da Clinica Neurovida.

Latest posts by Raquel Vasconcelos (see all)

26-05-2020 |

Deixe uma resposta

Todos os direitos reservados Utilità, Mantido por RT Soluções.
Pular para a barra de ferramentas