COMO USAR A VOZ DE FORMA SADIA NO SEU TRABALHO?

0

 

Mesmo com o uso cada vez maior da internet, fazendo com que as pessoas se isolem cada vez mais em suas realidades virtuais e interajam vorazmente pelos seus dedos em vez de suas oralidades, a quantidade de profissionais da voz cresce paulatinamente no país. Se antes o público-alvo que mais buscava preservar seu trato vocal era composto por cantores e atores, hoje temos novos profissionais compondo esse quadro, tais como: palestrantes, servidores públicos em geral, professores, gerentes, líderes, coaches, até concurseiros que passam por avaliação oral, entre outros.

Não é fácil lidar com a demanda que cada profissional desses possui. São vídeos, entrevistas, exposições públicas e outros compromissos profissionais (e até os pessoais) combinados com pouco ou nenhum cuidado prévio, o que culmina em um desgaste de uma estrutura muito pequena e sensível: as pregas vocais, que ficam guardadas em nossa laringe. Os professores, por exemplo, são uns dos que mais gastam a voz e prejudicam a saúde.

Em tempos de clima instável, poluição extrema do ar que respiramos, rotinas fatigantes, pouco tempo de repouso (real e completo), exposição prolongada ao ar-condicionado, ocorrências mais frequentes de alergias ou acometimentos virais (como gripes ou resfriados) e hidratação insuficiente, existem algumas atitudes que podemos tomar buscando a proteção da voz e o prolongamento da boa produção vocal. Veja:

  1. Manter uma boa ingestão de água (preferencialmente pura): o volume de ingestão indicado é de, pelo menos, 3 litros de água por dia (em caso de pessoas praticantes de atividade física ou residentes em regiões quentes, o consumo deve ser maior);
  2. Umidifique o ar que respira: se a região na qual o indivíduo habita for seca ou se o mesmo está constantemente exposto ao ar-condicionado, um umidificador de ar devolve a umidade necessária para que nossa mucosa presente em todo o trato vocal e respiratório tenda a ter a concentração ideal de água novamente;
  3. Faça nebulizações com soro fisiológico: isso leva ar umidificado diretamente ao trato respiratório fazendo com que a concentração de água seja ajustada mais rapidamente;
  4. Pratique o “repouso vocal”: se pararmos de falar, mas continuarmos pensando ou cantando, mesmo que mentalmente, nossa musculatura produz movimentos similares ao do falar, continuando assim a nos expor aos abusos vocais. Tente, por 5 a 10 minutos, parar de falar e de refletir sobre assuntos que necessitam da sua resposta/participação. A sua voz agradece;
  5. Faca aquecimento/desaquecimento da voz todos os dias e procure um fonoaudiólogo. Este é o profissional habilitado que pode te ajudar a ajustar a sua voz para prevenir o desgaste vocal precoce e também auxilia a reabilitar-se de modo ativo quando a qualidade da emissão já encontra-se prejudicada.

 

Se você é um profissional que faz uso exaustivo da voz ou, por exemplo, vai se candidatar a um concurso público e seguir carreira, tente se adequar a essas dicas e cuide para que suas cordas vocais estejam sempre sadias. A voz é como o seu cartão de visitas.

 

3,978 total views, 2 views today

(Visitado19 vezes, 1 visitas hoje)

The following two tabs change content below.
Ludmilla Silva Melo

Ludmilla Silva Melo

Ludmilla Silva Melo é Fonoaudióloga e especialista em Zumbido do Centro de Pesquisa e Diagnóstico do Zumbido. É formada em Fonoaudiologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atua em Saúde Auditiva, Reabilitação Auditiva, Terapia para Voz, Fala e Desenvolvimento de Linguagem em Oral em profissionais de Voz, pacientes com Surdez, vítimas de acidentes neurológicos ou portadores de transtornos de linguagem/ invasivos do desenvolvimento, além do tratamento do zumbido.
06-09-2019 |

Deixe uma resposta

Todos os direitos reservados Utilità, Mantido por RT Soluções.
Pular para a barra de ferramentas