PERDI O EMPREGO: O QUE FAZER COM A MINHA RESCISÃO?

0

emprego-interna

Em época de cenário econômico desfavorável, com nível de atividade econômica freada e as empresas dispensando (já são computados mais de 14 milhões de desocupados), saber antecipadamente o que fazer com o dinheiro ganho na rescisão pode ser interessante. É preciso estar preparado para não ser pego desprevenido.

Há uma série de estratégias que podem ser adotadas a fim de minimizar os efeitos negativos da demissão na vida financeira, possibilitando até que surjam boas oportunidades, mesmo em contexto tão adverso.

1) Preparar um planejamento financeiro consistente: identificar a natureza dos gastos que possui (como, por que e quando ocorrem e qual o montante), identificar os gastos supérfluos, identificar o montante da rescisão, estruturar um planejamento onde os gastos sejam coerentes com a nova realidade financeira, ou seja, sem receita. É a hora de apertar os cintos e gastar somente quando necessário.

2) Analisar o grau de endividamento atual: avaliar quanto, para quem e a que custo deve é fundamental para traçar um plano financeiro saudável. A conclusão se valerá a pena quitar uma dívida, continuar pagando-a ou renegociá-la dependerá desta análise.

3) Dinheiro parado é vendaval: dinheiro parado sem nenhum rendimento é um péssimo negócio. Assim, identificar boas opções para manter o dinheiro atualizado deve ser um objetivo claro. Dessa forma, o montante da rescisão poderá ser “esticado” um pouco no tempo. No entanto, é importante buscar opções de investimentos com baixo risco de perda. Então, nada de investir em mercados muito voláteis ou de risco alto como câmbio e ações. Deixe isso com os especialistas.

4) Qualificar-se é sempre uma boa opção: dependendo da área em que o profissional atue, investir ao menos parte da rescisão em sua atualização técnica e qualificação profissional é uma estratégia muito boa. Muitas vezes, durante o tempo empregado, não sobrava tempo para estudar e aprender algo novo. Procure mesclar aprendizados técnicos com desenvolvimento de comportamentos úteis para a vida pessoal e profissional. Quem sabe não é essa a oportunidade?

5) Empreender: é isso mesmo! Quem sabe ter sido dispensado não era o empurrão que faltava para tornar-se o próprio patrão? No entanto, uma série de aspectos devem ser analisados antes de abrir o próprio negócio: se possui perfil empreendedor, qual ramo de atuação deve ser escolhido, que tipo de produto ou serviço o mercado está demandando, se possui os conhecimentos técnicos necessários para abrir e gerir o próprio negócio, se será uma franquia de marca já conhecida ou começar algo do zero e por aí vai.

Estas são algumas das possibilidades que existem para tornar a rescisão recebida mais proveitosa. No entanto, mais do que saber o que fazer com o dinheiro recebido, é fundamental refletir sobre este momento delicado e como se pode sair fortalecido dele. Em vez de se colocar na posição de vítima das circunstâncias, procurar adotar comportamentos positivos e proativos com a vida é o melhor a fazer. Manter o equilíbrio emocional e tirar o que de bom há em momentos menos favoráveis fortalece as pessoas. Afinal, enquanto uns choram, outros vendem lenços!

Boa sorte!

 

 1,171 total views,  1 views today

(Visitado82 vezes, 1 visitas hoje)

The following two tabs change content below.
Alexandre Prado

Alexandre Prado

Alexandre Prado é coach, consultor, especialista em finanças, escritor e professor de cursos na área de desenvolvimento humano e organizacional, além de CEO da Núcleo Expansão. Tem no currículo sólida formação acadêmica, incluindo especializações em Nova Iorque, Boston e Oxford, e vasta experiência como alto executivo de empresas nacionais e multinacionais.
26-06-2017 |

Deixe uma resposta

Todos os direitos reservados Utilità, Mantido por RT Soluções.
Pular para a barra de ferramentas