Educação: fator para o desenvolvimento de um país

0
foto: divulgação

foto: divulgação

Investir em educação é investir no futuro! Essa frase, embora muito utilizada nas entrevistas, nos debates e sobretudo nas campanhas políticas, por parte dessas pessoas, acaba sendo, infelizmente, um simples “bordão” para chamar a atenção. A parte triste é que essas pessoas são exatamente aquelas que poderiam fazer algo para mudar a educação do Brasil.

Educação é definida nos dicionários como ação ou efeito de educar, de aperfeiçoar as capacidades intelectuais e morais de alguém. A Constituição da República Federativa do Brasil em seu artigo 205 estabelece que “a Educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”. Portanto, é possível perceber que a ação de educar é dever da família e do Estado, e deve ser fomentada por toda a sociedade.

Em diversos países com culturas diferentes, encontramos mecanismos para regular as relações entre professores e alunos, pais e filhos, jovens e idosos, Estado e sociedade e, com o Brasil, não poderia ser diferente.

Educar é socializar e preparar a criança para ser jovem e este para ser adulto, de modo que, em todas as etapas do ensino (do infantil ao superior), este adulto possa estar apto para conviver em sociedade da forma mais justa e solidária possível. Dito de outra forma, é preparar o jovem para exercer o seu papel na família, na sociedade e no mercado de trabalho e – por que não dizer –  também seu papel cívico dentro do Estado brasileiro. Afinal, a ação de promover a educação compreende o desenvolvimento das faculdades físicas, intelectuais e morais.

Não podemos esquecer, em hipótese alguma, daqueles alunos que precisam de necessidades especiais, bem como os idosos. Trata-se de um programa efetivo de inclusão!

A escola (pública ou privada) tem seu papel preponderante, mas não devemos atribuir somente a esta a responsabilidade de desenvolver a educação. Da mesma forma, o Estado deve assumir o seu papel de protagonista nessa história, mas também não é o único ator desse episódio.

Assim, o avanço de um país está umbilicalmente ligado à formação do seu povo, da sua sociedade. É importante formar o cidadão de forma que ele tenha senso de cidadania, de solidariedade, de respeito aos seus direitos e deveres. Enfim, que não se torne uma massa de manobra de autoridades públicas mal intencionadas e tampouco de grupos sociais com visões deturpadas que tentam aliciar jovens para caminhos tortuosos, como drogas, crimes, etc.

Enfim, educar é preparar o cidadão para a vida e esta se tornará tão melhor quanto melhor for o seu povo e a sua sociedade! Por isso, a educação é um dos fatores preponderantes para o desenvolvimento do Brasil.

51,248 total views, 3 views today

(Visitado117 vezes, 1 visitas hoje)

The following two tabs change content below.
Claudio Carneiro

Claudio Carneiro

Advogado especialista em Direito Tributário e Financeiro, com 18 anos de experiência no mercado, mestre em Direito Tributário, doutor em Direito Público, pós-doutorando pela Universidade de Lisboa. Professor do Curso de Mestrado da Faculdade Guanambi/BA. Professor de Tributário e Financeiro na EMERJ, FGV, Universidade Estácio de Sá e PUC. Principais livros do Autor: Curso de Direito Financeiro e Tributário; Processo Tributário (Administrativo e Judicial); Impostos Federais, Estaduais e Municipais (todos 3 da editora Saraiva). Possui ainda um romance policial intitulado Moeda: A verdade oculta. Sócio-fundador do escritório Carneiro & Oliveira Advogados. Presidente da OAB Barra da Tijuca. Ex-procurador Municipal. Diversos artigos publicados no Brasil e no Exterior.
19-05-2017 |

Deixe uma resposta

Todos os direitos reservados Utilità, Mantido por RT Soluções.
Pular para a barra de ferramentas