Halitose: um problema que afeta 50 milhões de brasileiros

Especialista dá dicas sobre como prevenir e tratar o mau hálito

0
halitose-interna cópia

Foto: ramyo via VisualHunt

A halitose ou mau hálito é um problema que afeta muita gente, gerando profundo constrangimento ou, até mesmo, a exclusão social. Pesquisas recentes revelam que, no Brasil, a halitose atinge cerca de 30% da população, ou seja, 50 milhões de pessoas. Ela não chega a ser uma doença, mas pode denunciar a existência de alguma patologia ou problema de saúde. Além disso, pode ser uma condição temporária ou se tornar um problema crônico.

Para tratar essa queixa, é preciso identificar primeiro a sua causa. São várias as possibilidades, mas, na grande maioria das vezes, a má higiene bucal, incluindo falta de escovação da língua, é a origem do problema. Além disso, o mau hálito também pode ser causado por má alimentação, estresse, baixa produção de saliva (hipossalivação), doenças da gengiva, problemas das vias aéreas superiores (rinites, sinusites, adenoides, etc) ou alterações sistêmicas, como diabetes, constipação intestinal (prisão de ventre), problemas renais ou hepáticos.

Segundo o Dr. Mauricio Araújo, especialista, mestre e PHD em Odontologia,“a halitose é um sinal de que algo não vai bem no organismo do paciente. O diagnóstico correto vai orientar a melhor conduta de tratamento, que deve ser feito o quanto antes a fim de o problema não se tornar crônico”, explica o especialista.

Dr. Mauricio lista aqui dez dicas para se evitar o problema:

1. Realizar uma boa higiene bucal diária, incluindo escovação adequada, uso de fio de dental e limpeza da língua;
2. Adotar uma dieta balanceada, rica em alimentos fibrosos;
3. Evitar o consumo excessivo de álcool e o hábito de fumar;
4. Beber cerca de dois litros de água por dia;
5. Evitar o consumo excessivo de alimentos com odor forte (alho, cebola, etc);
6. Evitar o consumo exagerado de alimentos que contribuam para o ressecamento bucal, como aqueles muito salgados ou condimentados;
7. Evitar o jejum prolongado. Ficar muitas horas sem comer pode comprometer o hálito. O ideal é fazer pequenas refeições a cada três horas;
8. Visitar o dentista semestralmente para prevenção e tratamento de possíveis problemas dentários, como cáries, remoção de tártaro, gengivites ou sangramentos;
9. Reduzir o nível de estresse, praticando atividades físicas regularmente e dormindo bem;
10. Fazer check-ups anuais de saúde.

 844 total views,  1 views today

(Visitado64 vezes, 1 visitas hoje)

The following two tabs change content below.
Dr. Maurício Araújo

Dr. Maurício Araújo

Referência mundial em Odontologia. Formado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), recebeu o título de Mestre em Periodontia pela Universidade de São Paulo e especialista pela Conselho Regional de Odontologia do Paraná. Continuou seus estudos na Universidade de Gotemburgo, Suécia, onde recebeu o título de PhD em Odontologia. Desde então, se tornou pesquisador-sênior da mesma universidade. Em 28 anos de atuação na área, publicou trabalhos científicos que se tornaram clássicos da Implantodontia e estão entre os mais citados do mundo. O especialista já visitou todos os continentes e mais de 30 países para ministrar cursos técnicos e lecionar em renomadas instituições, como a Universidade de Harvard, Universidade de Nova York, Universidade de Michigan, Universidade de Berne e Universidade de Gotemburgo, entre outras. É co-autor do livro de Odontologia mais vendido no mundo. É também membro e Presidente da seção brasileira do International Team of Implantology (ITI), a maior associação de implantodontistas do mundo. É ainda membro do conselho científico da mesma instituição na Suíça. É membro da Sociedade Brasileira de Periodontia e integra o conselho científico da Osteology Foundation, com sede em Luzern, na Suíça. É membro e diretor da International Academy of Implant Dentistry.
19-04-2016 |

Deixe uma resposta

Todos os direitos reservados Utilità, Mantido por RT Soluções.
Pular para a barra de ferramentas