Como conseguir promoção em tempo de crise?

Especialista aconselha os profissionais que querem subir na empresa

0
entrevista_emprego

Apesar da crise, as empresas ainda buscam lucratividade | Foto: Divulgação

 

A crise em 2015 bateu forte no Brasil e não está atrelada apenas à economia, mas também se relaciona a questões políticas, climáticas e éticas. Enquanto outros países estão retomando o crescimento, o nosso país apresentou, em 2015, previsão de redução do PIB de quase 1%. No entanto, como um profissional pode se diferenciar e conseguir crescimento profissional em um ambiente tão adverso?

Apesar da crise, os interesses das empresas ainda continuam os mesmos: aumentar a lucratividade. Se qualquer funcionário conseguir proporcionar isso à empresa em que trabalha, provavelmente seu destino nesta corporação será mais promissor.

Então, com isso em mente, a primeira pergunta que se deve fazer é: como posso ser um profissional melhor? Antes de tentar mudar qualquer coisa à sua volta, busque apenas a sua evolução particular, que já pode ser considerada um grande obstáculo. Peça um feedback ao seu líder. Uma das competências mais importantes para um profissional de sucesso é a capacidade de se autoavaliar. Busque entender os seus pontos fracos e fortes, tentando melhorar os primeiros e trazer mais dos últimos ao seu cotidiano.

Após esse exercício de conhecimento próprio, segue a segunda pergunta: como fazer o desempenho do meu time melhorar? De repente, para alcançar esta resposta, peça ajuda ao seu líder, pois ele, mais do que ninguém, sabe das potencialidades e fraquezas da sua equipe. Tendo essa resposta, veja o que você poderá fazer para ocupar esse espaço, mas sem deixar de fazer o que já é de sua responsabilidade. Por exemplo, se a equipe está precisando de uma pessoa com sólidos conhecimentos em Excel, por que não fazer um curso e se especializar no assunto?

Em relação a essas duas perguntas, o que deve ser trabalhado é o seu valor e importância dentro de seu time. A ideia é de se tornar o mais imprescindível possível. Inclusive, considerando uma possível onda de cortes, que você seja o último da fila. Sendo que essa ordem vai depender, principalmente, de sua importância dentro da empresa.

Já em relação às vagas, isso já não dependerá de você. Outros fatores estarão envolvidos, como a saída de um colaborador que esteja ocupando um cargo superior, se a empresa possui promoção horizontal, que se caracteriza pelo aumento do salário sem necessariamente aumentar o cargo no organograma (ex: Júnior, Pleno e Sênior), ou momento financeiro da própria empresa. O que pode ser considerado é que as empresas são mutáveis e, às vezes, a paciência é uma qualidade muito valiosa no ambiente corporativo. Hoje, talvez não tenha a vaga para sua promoção, mas amanhã, quem sabe?

No entanto, esteja preparado para enfrentar os percalços do “sucesso”. Alguns colegas de trabalho podem reconhecer a sua competência, mas outros, não. Por isso, saiba que algum olhar torto ou fofoca pode acontecer. Mas, se você conseguiu alcançar essa posição, você estará pronto para lidar com isso.

Por último, se acontecer a possibilidade de fazer um pedido por uma promoção, utilize como argumentos os seus resultados. Nada de falar de qualidades, mas do que você fez de produtivo para a empresa. Pedir reconhecimento não é crime. Entretanto, saiba que a resposta pode ser negativa e esteja pronto para ela. Se acontecer uma negativa, não demonstre desanimo e continue exercendo um bom trabalho. Até porque o seu gestor estará mais atento que nunca em relação à sua reação. Quem não sabe lidar com esse tipo de situação normalmente demonstra indícios de não merecer o crescimento.

Não tem como controlar a quantidade de vagas liberadas pela empresa, mas o seu desempenho está totalmente ao seu alcance. Saiba que o que pode te colocar nesta posição não são as suas qualidades, mas os resultados alcançados por elas. Normalmente, essas variáveis são quantificadas em uma avaliação de desempenho, mas mesmo que a empresa não tenha algo parecido, saiba que seu superior ficará muito feliz com um profissional com a mente voltada para os resultados. Afinal, o emprego dele também depende da sua competência.

Pense nisto!

1,722 total views, 2 views today

(Visitado199 vezes, 1 visitas hoje)

The following two tabs change content below.
Carlos Eduardo Pereira

Carlos Eduardo Pereira

Carlos Eduardo Pereira é consultor de Carreiras do Bê-á-bá do RH, psicólogo há oito anos formado pela Universidade Estácio de Sá (Unesa), Coach de Carreiras e está cursando MBA em Gestão de Pessoas pela UFF. Já trabalhou no Senac Rio e na empresa de Call Center TMKT como analista de RH, desenvolvendo recrutamento e seleção para grandes clientes como L'Oréal, Banco do Brasil, Itau, Sulamérica, Claro. Atualmente, é sócio fundador da consultoria Top Quality e do Bê-á-bá do RH.
15-06-2015 |

Deixe uma resposta

Todos os direitos reservados Utilità, Mantido por RT Soluções.
Pular para a barra de ferramentas