Você por Aqui: Thadeu Vidal

Morador do Recreio há 18 anos, leitor admira o trabalho feito pela Utilità

0
você por aqui thadeu vidal

O morador do Recreio Thadeu Vidal acompanhou o crescimento do bairro e os primeiros passos da revista Utilità | Foto: Divulgação

Morador do Recreio há 18 anos, Thadeu Vidal é leitor de Utilità desde quando a revista nasceu, praticamente, além de ser também usuário do novo portal da empresa. Durante todo este tempo em que vive no Recreio, ele comenta que viu muita coisa mudar por aqui. A revista impressa surgiu exatamente nessa época em que o Recreio sofria fortemente o crescimento populacional e ela precisava levar informações de estabelecimentos locais aos moradores. O cenário mudava e Thadeu Vidal lembra bem disso.

– A Utilità, com sua prática de distribuição nos edifícios, literalmente entrou na minha casa logo na primeira semana em que me mudei para o Recreio. Agora imaginem um cara, morando sozinho, recém-chegado, que recebe uma joia como a revista. Eu dormia com ela debaixo do travesseiro, praticamente (risos) – diz ele.

Hoje, a Utilità conta com um novo portal, além da tradicional revista, para poder levar entretenimento e serviços aos moradores do Recreio que querem informações, aonde eles estiverem. Thadeu Vidal faz parte desse público.

-Fiquei muito surpreso com o novo portal com sua organização e funcionalidade, é o Google do Recreio! Gostei particularmente da
oportunidade de divulgação gratuita de serviços profissionais – diz ele.

Você mora no Recreio há 18 anos. O que mais você recorda do tempo em que veio morar aqui? 
– Eu morava na rua Henrique Stamile Coutinho, em frente à Associação de Moradores do Recreio (Amor). A rua não tinha calçamento, ainda era de barro e no final havia um matagal. Lembro que todos os dias que saía de casa, de carro, para trabalhar – quase sempre no mesmo horário – tinha que esperar um menino que passava com três bois (!!!) que iam pastar no fim da rua. Aquilo me deixava numa alegria tremenda, pois eu considerava ter encontrado o paraíso dentro do Rio de Janeiro – recorda-se.

Onde você morava antes e por que decidiu pelo Recreio?
Morei na Barra por cinco anos. A decisão de vir pra cá foi, como creio de praticamente a maioria dos moradores, a possibilidade de ter um espaço de moradia maior a um preço menor. Comprei uma pequena cobertura naquele incipiente Recreio pelo mesmo preço de um quarto e sala na Barra.

O que você mais gosta no bairro?
O que mais me atrai no Recreio é esse jeitão de subúrbio – com aquilo que o subúrbio tem de melhor, que é a camaradagem, a facilidade de encontrar os amigos, de bater um papo, sem contar com o nosso “Saara” que é o Terreirão.

O que acha que poderia ser melhorado no Recreio?
Ih, são muitas coisas a serem melhoradas! Dentre as mais importantes considero a melhora no fornecimento de água, a limpeza das nossas lagoas, o controle do trânsito na praia nos finais de semana e a limitação de expansão do Terreirão.

Você foi convidado para fazer um trabalho voluntário no Terreirão. Já começou? O que você destaca neste trabalho?
Infelizmente, não comecei por causa das eleições. Tive receio de que o trabalho pudesse ter algum tipo de exploração política e resolvi esperar o resultado. Com a divulgação do resultado, eu estava tão envolvido com situações antigas que preferi me organizar e iniciar o trabalho em janeiro. Em compensação, o trabalho de consultoria jurídica que iria dar somente à Associação de Moradores do Canal das Taxas, vou estender à Associação de Moradores do Terreirão ( são duas, que congregam todos os moradores).

Além desse trabalho voluntário, já participou de outros ou se envolveu em associações de moradores, algo assim?
Eu fui assessor especial do Coordenador do Programa Delegacia Legal e tenho muito orgulho de ter contribuído para que o nosso bairro tenha uma Delegacia de Polícia. Em seguida, fui convidado para ser diretor de operações imobiliárias da Secretaria Estadual de Educação e por muito pouco não consegui trazer uma escola pública de nível médio para o bairro. Seria a minha completa realização, mas vou esperar a posse do novo secretário Estadual de Educação, com quem trabalhei, para voltar à carga. Vamos torcer para que nós consigamos. O Recreio não tem uma só escola de nível médio. E a Barra toda só tem uma! É um absurdo.

O que você falaria para uma pessoa que não conhece o Recreio?
“Você não sabe o que está perdendo!”

O que é a Utilità para você?
A Utilità, não só para mim como para todos os moradores que conheço no bairro, – e que não são poucos -, é a nossa maior ferramenta de convivência. Ela substitui aquele porteiro que resolve todos os seus problemas emergenciais. É de deixar os bairros onde não há uma revista congênere com água na boca! Praticamente todas as minhas necessidades, sejam para resolver problemas, sejam para alimentação, lazer, saúde, enfim, para me permitir ter os serviços que preciso na hora, a Utilità sempre está sempre presente. Meu carinho pela revista é enorme!

O que você mais gosta na revista?
Não dá para falar o que mais gosto na revista. Seria como responder de qual filho você gosta mais…Tudo nela é bom. E com a criação do portal, ficou ainda mais abrangente!

 898 total views,  1 views today

(Visitado115 vezes, 1 visitas hoje)

The following two tabs change content below.
Rafaela Tayão
Sou jornalista apaixonada pelo trabalho on-line, atraída pelo Marketing Digital e encantada pelo poder que as palavras têm. Fico mais feliz ainda quando sei que é por elas que muita gente encontra o que quer!
15-12-2014 |

Deixe uma resposta

Todos os direitos reservados Utilità, Mantido por RT Soluções.
Pular para a barra de ferramentas