É preciso coragem

0
é preciso coragem

Para dar um passo importante, é preciso ter coragem | Foto: Divulgação

Não precisaria de pesquisas para chegar à conclusão que mais de 50% das pessoas que eu conheço não estão satisfeitas com o seu emprego atual. Mas as pesquisas são fundamentais para deixarmos os “achismos” de lado e identificarmos com mais precisão o cenário.

Uma pesquisa da Towers Watson em 16 países, divulgada em julho de 2012, aponta que fora do Brasil 65% dos trabalhadores estão desengajados. No Brasil, são “apenas” 30%.

Muita gente está infeliz porque trabalha “no escuro”. Segundo a pesquisa, no Brasil, 46% dos funcionários dizem não conhecer as metas das empresas onde trabalham e 44% dizem que não sabem o que precisam fazer para ajudar a companhia a atingir seus resultados.

Outro fator de infelicidade é o descasamento entre valores pessoais e corporativos. Uma pesquisa da Bain & Company com 750 profissionais de seis países revelou que 15% dos executivos já aceitaram redução no salário para trabalhar em empresas que adotam práticas sustentáveis.

Segundo a autora Teresa Amabile em sua obra “The Progress Principle”, “O fator mais importante para o engajamento das pessoas é perceber avanços em um trabalho que faça sentido. Mesmo que pequenos passos adiante incrementam o que nós chamamos de vida profissional interior.”

Você é capaz de responder a pergunta abaixo?

O que o seu trabalho atual está fazendo com você como pessoa – com a sua mente, seu caráter e seus relacionamentos?

Interessante é que a maioria das pessoas cujo eu identifico alto índice de insatisfação, consegue responder bem esta pergunta. Já reparou que existe um perfil de comportamento que eu costumo chamar de “Tipo ímã” (peça de aço magnetizado que atrai). Pessoas “tipo ímã”, parecem ímã, queriam ser ímã, mas não são. Esse tipo de pessoa está sempre esperando atrair (receber) algum benefício da empresa, uma ajuda da família, dos amigos, do governo etc. Acha sempre que está em posição de ser ajudada (atraindo ajuda). Esse perfil de pessoa não conhece o sabor da conquista.

O que você tem feito por você mesmo? Para melhorar enquanto profissional? Quais foram as suas últimas conquistas? Há quanto tempo?

Nós conseguimos observar os elementos ao nosso redor, mas temos sérias dificuldades em nos perceber. A nossa mente é mestre em maquiar as nossas falhas e evidenciar as falhas externas. Será que a empresa que você trabalha é tão ruim assim como você pensa? Será que o seu chefe é esse monstro que você acredita ser?

É preciso muita coragem para investir tempo em se conhecer melhor. Eu quero te recomendar um remédio. No mundo do coaching nós chamamos de CHA – Conhecimento, Habilidades e Atitudes. Você se conhece bem? Que tipo de conhecimento você tem obtido? Conhece as suas principais habilidades? Você é uma pessoa de atitudes? Suas atitudes geram resultados satisfatórios?

É preciso coragem para se conhecer bem para mudar. Ao se conhecer melhor, é possível tomar decisões acertadas, definir objetivos alcançáveis e desenvolver habilidades alinhadas com o seu perfil.  Não esperar mais, mas fazer acontecer hoje e agora.  É preciso coragem!

Robson Vitorino é Coach, palestrante, professor, articulista e consultor nas áreas de Marketing, Comunicação, Liderança e Gestão de Pessoas – www.robsonvitorino.com.br

657 total views, 1 views today

(Visitado38 vezes, 1 visitas hoje)

The following two tabs change content below.
Robson Vitorino

Robson Vitorino

Robson Vitorino é professor do IBMEC, palestrante e consultor na área de Gestão de Pessoas e Liderança. É sócio-diretor da Maxta Consultoria e Treinamento.
10-10-2014 |

Deixe uma resposta

Todos os direitos reservados Utilità, Desenvolvimento evo.ag.
Pular para a barra de ferramentas