O que esperar de 2018?

0

victor - interno

Pois bem, resolvi escrever sobre o que eu espero de 2018. Meu 2017 ainda nem terminou e eu já estou aqui me pegando pensando em 2018. Esse promete ser um ano cheio de coisas boas, se não para o mundo, ao menos para mim. Começo 2018 de uma forma muito diferente da que comecei 2017, se no ano presente eu comecei perdendo o emprego, entrando para o rol dos desempregados, engrossando as estatísticas pessimistas do país, no ano que vem começo empregado, e muito bem empregado, por sinal.

Se, até 2017, eu me via como alguém da área jurídica que se aventurava nas artes literárias, hoje eu posso afirmar com todas as letras que sou um autor/escritor. Ainda sem muito renome, diga-se de passagem, mas cuja carreira está começando a engrenar. Se, em 2017, escrever era uma forma de alívio para o dia a dia, em 2018 a coisa mudou e virou profissão, passando a ser encarada com muito mais seriedade.

Sim, meu ano novo começou mais cedo, com a minha mudança de profissão, deixei de ser um microempresário frustrado para me dedicar ao que mais me alegra, que é poder escrever meus textos, expor minha opinião e colocar minhas ideias para fora da minha caixa craniana.

Então, para mim, 2018 já começou e chegou cheio de novidades, chegou cheio de possibilidades, com novos desafios e paradigmas. Minha vida deu uma reviravolta daquelas, que parece até oriunda de roteiro de Hollywood, embora eu tenha trabalhado para conseguir chegar aonde estou hoje.

Mas, voltando ao assunto, como já me considero em 2018, por conta das novidades em minha vida, posso falar dele com mais tranquilidade e mais clareza, dando informações que espero que vocês não levem como previsões de mais um vidente ou picareta. Vejamos: 2018 será um ano para mudanças bruscas na vida das pessoas em geral, principalmente para aqueles que conseguem ser positivos diante das adversidades. Será também um ano para buscas pelo bem coletivo e amor ao próximo.

E você pode me perguntar: mas, Victor, só porque você arrumou um emprego novo o ano será bom? Veja bem, meu nobre leitor, quando você passa a se dedicar a fazer exatamente aquilo que você gosta, que te faz bem e, além de tudo, ainda é reconhecido por isso, tudo no mundo passa a ter mais cor, mais sabor e mais cheiro. As pessoas passam a ser mais agradáveis, as coisas passam a caminhar de uma forma mais tranquila e, assim sendo, você passa a viver a vida de forma plena, aproveitando cada minuto dela.

E, olhando de 2018 para trás, posso falar para vocês, meus queridos, se dediquem mais ao que vocês gostam de fazer, busquem conviver com as pessoas que extraem o melhor de você, que te fazem se superar a cada dia mais e mais. Tratem de fazer o bem ao próximo, sem que você pense em ser recompensado por isso, mas sim porque isso é o certo a se fazer.

Esse ano traz um sopro de mudanças para o mundo, e não estou falando só do meu, mas do mundo que todos nós compartilhamos. Teremos em mãos as armas para fazermos todas as transformações que desejamos para o nosso mundo, para o nosso país e principalmente para as nossas vidas.

Cada um de nós será responsável pela revolução em nossas vidas. Sabe aquele papo de a mudança que queremos ver no mundo começa por nós mesmos? Então, é bem isso, temos que assumir como compromisso a ideia de que, para mudarmos o mundo, devemos começar por mudarmos a nós mesmos. Sejamos mais positivos, busquemos ser mais agradáveis, menos rancorosos, menos chatos, menos críticos…

Falar de esperança em dias melhores é sempre muito clichê. Chega no fim do ano e todo mundo sempre pensa logo no Bial repetindo: “Use filtro solar”. Não que isso não seja uma coisa boa, até porque eu mesmo já fiz um texto com os ensinamentos que aprendi no ano que se encerrava e o que esperava para o que se iniciava.

Contudo, para 2018, eu não tenho desejos ou esperanças especiais, desejo apenas que as pessoas sejam a melhor versão delas que já existiu até hoje. Acredito que os bons ainda são a maioria, que quando o ser humano busca fazer o bem, ele é a maior força da natureza, entretanto, estamos nos desviando muito dessa coisa de fazermos o bem, de pensar no próximo…

Curioso, pois eu não sou daqueles que se deixa abater por notícias ruins, claro que fico mal, penso que o mundo pode estar chegando realmente à beira do abismo, mas logo me vem uma notícia boa que dissipa esses pensamentos ruins da minha mente.

O ano de 2018 promete ser excelente, podemos mudar através da política, trazendo um frescor para o poder público, elegendo pessoas que não estejam ligadas aos esquemas de corrupção ou que compactuem com a velha política, mas, acima de tudo, podemos nos importar mais com o tema. Promover debates com os amigos, com os parentes, na faculdade, no colégio, no trabalho, na praia, no clube… Afinal, a política afeta a todos e os próximos governantes que elegermos não terão o direito de errar.

O campo das artes promete também, pois, apesar dessa onda conservadora que está esmagando a nossa classe artística, os artistas estão se levantando contra isso, mostrando que na verdade a arte deve ser contestadora e desafiadora para a sociedade em que está inclusa, não servindo apenas para agradar a maioria, mas também para fazer pensar e questionar o senso comum e o pensamento médio.

Até o futebol está nos trazendo novas esperanças, ao nos mostrar uma seleção preparada e engajada em ganhar a Copa do Mundo e apagar o fiasco que se mostrou a nossa última participação em Copas, ainda mais em se tratando do 7 x 1, em pleno Mineirão, dentro de casa. Temos chances claras de conquistar o caneco e isso é um alento para muitos.

A sociedade como um todo traz esperanças de dias melhores, afinal, não podemos continuar caminhando para essa segregação, esse sexismo, esse racismo, esse machismo, essa homofobia, essa xenofobia, essa raiva, esse ódio, essa elitização, que fazem com que a nossa sociedade não consiga alcançar o máximo da existência humana.

Será um ano revolucionário, afinal, as pessoas estão se dando conta de que o fim pode estar próximo, mas que só a humanidade é capaz de salvar a humanidade. Para mim, só posso desejar que você se dedique mais ao próximo, escute mais as pessoas à sua volta, dê atenção a quem te procurar, se mostre mais afeito a praticar o bem. Ouça mais e fale menos, elogie mais e critique menos, abrace mais e brigue menos. A vida é uma dádiva e, como tal, devemos desfrutar dela como se não houvesse amanhã.

Eu não gosto de ter expectativa, pois acho que quando você a tem e algo não acontece, você se frustra, contudo, sou daqueles que não vive sem esperança, que são coisas bem diferentes. A esperança é aquele sentimento de que no final tudo vai dar certo, que tudo vai ficar bem. É você saber que algo não vai bem, mas que amanhã o sol vai sair de novo e as coisas vão melhorar. É saber que existem dias ruins, mas que você está nesse mundo para ser feliz. Já a expectativa é você acreditar que só será feliz se alguma coisa específica acontecer e da forma que você deseja. Esperança é acreditar que o universo é capaz de te surpreender a cada instante, é saber que as coisas serão como tiverem de ser e ainda assim ter a certeza de que tudo dará certo, tudo será da melhor forma possível, que o universo vai mover os pauzinhos para que você seja uma pessoa feliz, esteja bem, tenha sua vida da melhor maneira possível, sendo uma vida boa. Isso é a esperança! Tenha sempre ela.

Sendo bem sincero, não sei exatamente o que esperar de 2018, afinal, esse ano já está começando da melhor forma possível e eu sou da ideia de não criarmos expectativa com nada e sermos gratos por tudo. Quando você passa a agir dessa forma, você se abre para o mundo, permite que o universo conspire ao seu favor, te surpreendendo sempre com novidades quentes. Tudo para você será sempre algo diferente, será sempre uma aventura, uma surpresa e assim você poderá sempre se sentir contente com as novidades da vida.

Para mim, o universo já sorriu, afinal, o ano de 2018 se mostra um ano fantástico. Terei o prazer de escrever aqui nesse espaço, complementando assim as ideias que escrevo em O Blog Do Victão, o meu blog. Terei uma forma de espalhar as minhas ideias, buscar fazer a diferença nesse mundo caótico, raivoso e tão fora da realidade. Quero poder trazer um pouco de esperança, um pouco de bons pensamentos, um pouco de boas energias, para que o mundo possa ser um lugar melhor. Afinal, estamos precisando de dias melhores, para sempre!

14,420 total de visitas, 472 visitas hoje

(Visitado163 vezes, 16 visitas hoje)

The following two tabs change content below.
Victor Hugo de Souza Mendes

Victor Hugo de Souza Mendes

Eu sou Victor Hugo de Souza Mendes, conhecido como Victão, morador do Recreio, escritor, cronista, poeta, amante do Rio de Janeiro, que gosta de samba, de praia, de sol e é apaixonado pela vida.
Victor Hugo de Souza Mendes

Últimos Posts (ver todos)

27/12/2017 |

Deixe uma resposta

Todos os direitos reservados Utilità, Desenvolvimento evo.ag.