Psicologia Positiva: um novo olhar para a felicidade

0

carolina - interno

A Psicologia Positiva é um olhar relativamente recente e que chegou pra mudar o setting terapêutico. Até então, a psicologia se ocupava de tratar os problemas, os transtornos psicológicos, se ocupando inteiramente com o que havia de errado nas pessoas. Com essa nova abordagem, nós, psicólogos, começamos a olhar para o que dá certo com as pessoas. Começamos a valorizar as forças e potencialidades de uma pessoa. E estimulamos o uso dessas forças para promoção de bem-estar e felicidade.

Então o foco da psicologia positiva é promover a felicidade. Pois não queremos apenas não estar doentes. Queremos mais do que isso, queremos ser felizes.
Portanto, reformulamos o estilo de vida do paciente, explorando as qualidades humanas e as reações pró-sociais, como a empatia, o altruísmo, a gratidão, o vínculo e o amor. Através de questionários e exercícios específicos, ajudamos os pacientes a construir ou reforçar essas qualidades para que eles possam lidar com as dificuldades de maneira menos sofrida e mais resiliente. E esses benefícios aparecem em todas as áreas da vida da pessoa: no trabalho, nas relações interpessoais, no casamento… Por esse motivo, separei algumas dicas de como aumentar o seu nível de felicidade em cada um dos setores da sua vida, utilizando técnicas da Psicologia Positiva:

 

Trabalho – No trabalho, por exemplo, as pessoas devem tentar enxergar os pontos fortes uns dos outros. Isso aumenta a eficiência das equipes. Normalmente, há sempre um olhar voltado para as fraquezas de uma pessoa no mundo corporativo, e a psicologia positiva vem para mostrar que, se fortalecermos ainda mais os pontos fortes que determinado funcionário tem, podemos motivá-lo a produzir mais, a se sentir mais eficaz, a melhorar sua autoconfiança e consequentemente torná-lo mais feliz e satisfeito em seu ambiente de trabalho. Lembrando que as fraquezas não devem ser deixadas de lado, devem, sim, ser gerenciadas; mas deve-se gastar mais energia com as qualidades. A maneira como você enxerga seu trabalho também faz toda a diferença. Alguém que é funcionário de um caixa de supermercado, por exemplo, pode pensar que trabalha registrando mercadorias o dia todo, ou que está sendo útil às pessoas, que precisam de alimento para sobreviver todos os dias.

 

Casamento – No casamento, as brigas são muito comuns. O excesso de convivência e as personalidades diferentes dos parceiros acabam gerando conflitos e muitas vezes, fazendo com que o casal se distancie. Para quebrar esse clima ruim e ter felicidade no relacionamento, que tal ter um pouco mais de empatia? Tentar se colocar no lugar do outro. Essa pessoa foi criada totalmente diferente de você e teve experiências diferentes também e, por esse motivo, também pensa diferente. Vocês não são inimigos! Pelo contrário, devem ser companheiros um do outro. Perdoe mais, critique menos. Para isso, todos os dias faça pelo menos uma coisa gentil e positiva para seu parceiro. Pode ser mandar uma mensagem carinhosa, dizer uma palavra de consolo, comprar aquele docinho na padaria pois sabe que a pessoa gosta. Se os dois entrarem nessa brincadeira do bem, o foco do negativo é cortado e a relação se torna mais leve e especial.

Filhos – Uma dica pra cultivar felicidade na relação com os filhos é: aprecie os pequenos momentos. Sabemos que hoje em dia não temos, muitas vezes, todo o tempo que gostaríamos de ficar com nossos filhos… Temos que trabalhar, cuidar de casa, entre outras tarefas. Mas podemos dar qualidade para o tempo que estamos com eles. Se você tem uma hora pra ficar com seu filho à noite, aproveite essa uma hora. Esteja presente naquele momento. Brinque com ele, ensine, eduque, abrace, ame seu filho. Ele vai sentir sua “presença”! Vai se sentir mais amado, mais seguro, mais feliz e a relação de vocês será mais prazerosa.

Amigos – Cultive sua amizade. Tem pessoas que querem ter amigos, mas são incapazes de ser agradáveis, de ligar num momento difícil, de perdoar um deslize do próximo. A amizade não é uma relação que se constrói sozinha. Precisa de dedicação. Só assim seremos felizes.

Sua relação consigo mesmo – desenvolver virtudes como empatia, compaixão, altruísmo, amor, vínculo faz com que a pessoa se torne um ser humano melhor. Algumas dicas para a pessoa ter uma boa relação consigo mesma: comece a meditar; inicie com 5 minutos diários, e vá aumentando até chegar a 20 minutos. Para isso, coloque uma música suave e respire calma e tranquilamente. Não se preocupe com os pensamentos. Eles vêm e vão. O importante é você tentar sempre trazer a atenção para a respiração de maneira bem calma. A meditação tem inúmeros benefícios para nosso cérebro e qualidade de vida. Outra dica é: todos as noites, antes de dormir, escreva 3 coisas que aconteceram no dia pelas quais você é grato. Chamamos de Diário da Gratidão. Isso estimula sentimentos positivos dentro de nós, aumenta o bem-estar e nos faz mais felizes.

 

No consultório, a associação da Terapia Cognitivo Comportamental com a Psicologia Positiva traz inúmeros benefícios e facilita o processo terapêutico. Enquanto, na primeira, trabalhamos pensamentos e crenças distorcidos e comportamentos disfuncionais; na segunda, manejamos melhor as emoções através do desenvolvimento e aprimoramento dos talentos e virtudes. E, dessa forma, uma complementa a outra, gerando resultados muito mais satisfatórios.

59,354 total de visitas, 5 visitas hoje

(Visitado16 vezes, 2 visitas hoje)

The following two tabs change content below.
Carolina Veras

Carolina Veras

Especialista em Terapia Cognitivo Comportamental (FBTC) Especialista em Neuropsicologia (Santa Casa de Misericórdia-RJ) Membro da Sociedade Brasileira de Neuropsicologia Membro do Grupo de Pesquisa e Desenvolvimento em Neuropsicologia PUC-Rio
30/11/2017 |

Deixe uma resposta

Todos os direitos reservados Utilità, Desenvolvimento evo.ag.